Um poema de Amiri Baraka

KA ‘BA Uma janela fechada sobranceira olha um pátio sujo, e os negros a cruzar apelos, gritos, atravessam-no desafiando a física com a torrente da sua vontade O nosso mundo está cheio de som O nosso mundo é mais belo que qualquer outro embora soframos, e nos matemos uns aos outros e às vezes nos […]