Foi a notícia do dia, poderá ser uma das do século. Francisco – um Papa jesuíta com nome franciscano, vindo do Novo Mundo. Já puxou o tapete à Profecia de São Malaquias. Aparece na varanda sem parafernálias, mas respeitando o ritual, e mostra sentido de humor. Apesar de tantos trezes (do ano e do dia) traz bons augúrios. E tem bom gosto – é este o seu quadro preferido, segundo os biógrafos. Chagall-whitecrucifixion

A Crucificação Branca (1938) – Marc Chagall (1887-1985) – Art Institute of Chicago

partilhar

One comment on “Habemus Papam

  1. E literário, também. Borges, Dostoievski…
    Deixei lá no albergue da juventude um lamiré sobre o que de importante a predilecção pelo «CRIME E CASTIGO» possa significar no Magistério.

    Beijinho, Querida Helena

Comments are closed.