Denise Levertov, espelho

Denise Levertov - Academy of American Poets, Jan Wallace.

 

 

 

 

 

 

Espelho

Faço deslizar a minha face ao longo do espelho
De flanco, para ver
Aquele sorriso ao lado
Um ar pálido, cansado
E manhoso. Ei,

Quem está observando daí?
Sombra-mim, não com
Malícia, mas mercurialmente
Carregada com presciência do
Terror e suor

trad. Helena Barbas – Denise Levertov (1923-1997) – original aqui

partilhar