Caridades

SONETO SUPERDESENVOLVIDORuy Belo

É tão suave ter bons sentimentos,
consola tanto a alma de quem os tem
que as boas acções são inesquecíveis momentos
e é um prazer fazer bem

Por isso se no verão se chega a uma esplanada
sabe melhor dar esmola que beber a laranjada
consola mais viver assim no meio de muitos pobres
que conviver com gente a quem não falta nada

E ao fim de tantos anos a dar do que é seu
independentemente da maneira como se alcançou
ainda por cima se tem lugar garantido no céu
gozo acrescido ao muito que se gozou

Teria este (se não tivesse outro sentido)
ser natural de um país subdesenvolvido

in Palavra(s) de Lugar (1970) – Todos os Poemas Círculo de Leitores, 2000 (p. 200)

partilhar

Reader Comments

  1. Querida Helena,
    é espantoso como, maugrado o título, a Carridade se acha tão ausente do poema de Belo!
    Ah, talvez se deva tal à impermeabilidade à Poesia que se desprende Dela.

    Beijinho

Comments are closed.